Se o seu nome nos deixa sonhando, e seria confundido com o título de um filme de Hayao Miyazaki, este lugar é, no entanto, muito real.
A chamada Vinincunca, Montanha do Arco-íris ou Montanha das Sete Cores, está localizada na região peruana de Cuzco. Culminando a 5.200 metros de altitude no coração da Cordilheira dos Andes, a Rainbow Mountain não atraiu seus primeiros visitantes até 2016. Desde então, tem sido destaque na programação de várias agências.
Somente os mais aventureiros embarcarão nesta bela caminhada de seis horas, a pé ou a cavalo. Na chegada, o panorama é impressionante, mas você tem que merecer!
A aquarela que o constitui é um fenômeno totalmente natural, mas raro. Resultado de milhões de anos de acumulação de sedimentos, cada cor se deve a um elemento químico: óxido de ferro para vermelho, sulfato de cobre para verde, enxofre para amarelo, criando também tons de rosa. , roxo, dourado, marrom… para um magnífico afresco na escala de uma montanha.
Para descobrir o Peru de uma forma diferente, a montanha das 7 cores será o destino ideal e imprescindível de sua viagem. Uma joia ainda preservada que poucos privilegiados tiveram a oportunidade de descobrir. Para fazer parte, aqui estão as informações que você precisa saber para preparar sua visita.


Por que visitá-lo?


A riqueza geológica desta montanha é uma curiosidade científica de inegável beleza. Suas laterais e cumes só revelaram seus mistérios após um grande degelo.
Atropelar esse ambiente extraordinário é caminhar por milhões de anos de evolução terrestre.
Por folclore
Os Quechuas, habitantes desses lugares, são descendentes dos Incas e possuem uma cultura riquíssima. Eles vivem criando lhamas, cavalos e alpacas em um modo de vida antigo.
Ir ao encontro deles será, sem dúvida, recompensador. Além disso, para a população local, a Montanha Auzangate é um local sagrado de adoração. A tradição diz que é dotado de um espírito pelo qual as ofertas são feitas.


Para turismo solidário


Fora do caminho, este local turístico ainda é relativamente desconhecido. Ir para esta montanha ajuda a aliviar o congestionamento em lugares saturados de turistas como Machu Picchu.
Custódia e preservada pelos pastores locais, a montanha gera uma renda que beneficia diretamente a atividade local e a qualidade de vida de seus habitantes.
Visitar a montanha das 7 cores é empreender uma fuga mágica, imersa na riqueza natural e cultural deste local atípico.
Como chegar lá?
Para chegar à montanha tem à sua disposição várias opções.
O primeiro passo é ir para Cuzco, a antiga capital do Império Inca a 3.400 metros acima do nível do mar.


Na agência


Ao escolher uma das agências em Cuzco, você se beneficiará de uma fórmula com tudo incluído, segurança e facilidades de transporte. Você terá uma excursão de 1 ou 2 dias.
Partindo às 3h da manhã, você estará de volta à noite. A principal vantagem é contar com a assessoria de um guia local, que o acompanhará na subida com inestimáveis ??esclarecimentos.


Em autonomia


É bem possível ir sozinho. Mais aventureiro, o passeio sem agência permitirá que você chegue ao topo primeiro, antes da chegada dos ônibus de turismo, ou após sua saída.
Para isso, pegue um ônibus de Cuzco a Checacupe, depois um coletivo ou táxi até a cidade de partida da caminhada, Ocefina.
Em ambos os casos, você sairá por cerca de 3 horas de caminhada até o topo. Você será convidado a subir na cadeira a qualquer momento.
Ao chegar, continue 200 metros para desfrutar de uma vista magnífica do Vale Vermelho. Se tiver possibilidade, pode estender a caminhada para contemplá-la mais plenamente.


Quanto custa ?


A única forma de conseguir a passagem é indo até o sopé da montanha, até o posto de controle da comunidade Pampachiri.
Os turistas nacionais pagarão entrada de 5 soles contra 10 para estrangeiros.
Para andar a cavalo, serão cerca de 50 soles em cada sentido.
A viagem com agência vai custar 330 soles (inclui entrada, transporte, lanche e guia) contra 170 soles em autonomia (inclui viagem, lanche, entrada, cavalo).

Como preparar?


Como a altitude elevada pode causar o mal da altitude, esta caminhada é considerada difícil e, portanto, não é adequada para todos.
É aconselhável aclimatar um dia em Cuzco antes da subida, o que não é particularmente difícil, mas requer boas condições físicas.
Não se esqueça do essencial: alguns litros de água, comida, protetor solar, chapéu, bons sapatos de caminhada, capa de chuva, luvas, agasalhos e claro, sua câmera!


Quando visitar?


A estação seca, de abril a setembro, é o período mais recomendado para aproveitá-la. Agosto é o destaque, mas também o mais movimentado.
Cuidado com a decepção! Se fotos brilhantes estão se espalhando nas redes sociais, você deve saber que o clima tem um papel importante a desempenhar.
Quanto mais claro e ensolarado o céu, mais eu via

Pin It on Pinterest

Shares
Share This