Com protocolos que incluem medidas de segurança e saúde, o governo peruano se prepara para a reabertura de Machu Picchu ao turismo.
Depois de mais de sete meses fechado devido à pandemia do coronavírus (covid-19), Machu Picchu voltará a abrir suas portas ao turismo. A data de reabertura ainda era incerta, porém as autoridades confirmaram que a partir de domingo, 1º de novembro, as visitas à cidadela inca serão habilitadas. Nesta nota você conhece todos os detalhes.


O governador regional de Cusco, Jean Paul Benavente informou há poucos dias que a cidadela será aberta a partir de hoje, 17 de outubro, aos visitantes de Cusco nesta primeira etapa, conforme havia sido estabelecido no cronograma de reabertura.

Da mesma forma, havia avançado a data provisória para que Machu Picchu recebesse turistas nacionais e, gradativamente, visitantes estrangeiros. Da mesma forma, o ministro da Cultura, Alejandro Neyra, anunciou que a reabertura ao turismo nesta maravilha seria em novembro. Uma medida que serve para reabrir aos poucos a atividade turística, como aconteceu com os voos internacionais, que estão em operação desde o início do mês.
O prefeito de Machu Picchu, Darwin Baca, confirmou a data de reabertura, após o encerramento da reunião do Comitê da Unidade de Manejo de Machu Picchu (UGM) organizada no dia 17 de outubro.
“Esta manhã houve uma reunião com o comitê gestor da UGM, com a presença dos chefes dos ministérios da Cultura, Turismo e Meio Ambiente, e dos vice-ministérios, com os quais -unanimemente- foi decidido possibilitar visitas a Machu Picchu a partir de primeiro de novembro; será dada prioridade ao povo de Cusco para que tenham a oportunidade de ver as maravilhas do nosso mundo “, disse ele
Como será a reabertura?
Para a reabertura do santuário na sua primeira fase, o Ministério da Cultura aprovou o “Protocolo de Prevenção contra a COVID-19 para o atendimento de visitas turísticas na Cidade Llaqta ou Inka de Machu Picchu”, em que a capacidade, percorre , e parâmetros a serem seguidos pelos visitantes.

A capacidade máxima do Llaqta de Machu Picchu é de 30% dos 2.244 visitantes nesta primeira fase de sua reabertura. Ou seja, o santuário receberá apenas 675 visitas por dia, 75 por hora e a entrada será em grupos de oito, incluindo um guia, como disse a este jornal José Bastante, chefe do Parque Arqueológico de Machu Picchu.

Requisitos:

Se você pretende visitar a cidadela Inca, é importante saber que a hora em que o santuário abrirá suas portas será a partir das 6 da manhã. às 17 horas


Quem quiser visitar Machu Picchu deverá obrigatoriamente gerar um ingresso mediante cadastro na plataforma web www.machupicchu.gob.pe, onde deverá indicar a data e hora de sua visita. Vale ressaltar que a página estará habilitada a partir desta segunda-feira, dia 19 de outubro.
“A entrada tem custo zero até 15 de novembro, mas se não gerar o ticket antes, não poderá entrar. A página começará a funcionar na segunda-feira ”, disse José Bastante ao El Comercio.

Você deve saber que a primeira fase de reativação inclui a abertura do trecho número 5 da Trilha Inca (km 104) e a Llaqta de Machu Picchu. Se quiser mais detalhes, acesse este link www.mitviajes.com
Cusco avança para este sábado, dia 17 de outubro, reabertura de Machu Picchu
Nesta primeira fase receberá visitantes de Cusco e desde novembro a turistas nacionais e estrangeiros.
O grande dia chegou. Este sábado, 17 de outubro, será uma data especial para Cusco. Este dia foi escolhido para a reabertura oficial de Machu Picchu, após mais de sete meses fechado ao turismo devido à pandemia do coronavírus (covid-19).

O anúncio foi feito pelo governador regional de Cusco, Jean Paul Benavente, que disse que nesta primeira etapa serão recebidos apenas os visitantes de Cusco, conforme havia sido estabelecido no calendário de reabertura da cidadela inca.

Ele também confirmou que a partir de novembro Machu Picchu receberá turistas nacionais e, gradativamente, estrangeiros.
Há uma semana o ministro da Cultura, Alejandro Neyra, anunciou que a reabertura de Machu Picchu ao turismo será em novembro em data a definir. Ele especificou que a capacidade autorizada para a cidadela inca é de 675 pessoas por dia, o que representa 30% do total autorizado em uma estação normal. Essas pessoas devem entrar em grupos de 8 visitantes com guia.

Benavente, autoridades, operadoras de turismo e trabalhadores vinculados ao setor de turismo de Cusco se comprometeram a cumprir os protocolos de saúde para evitar a disseminação do covid-19 durante e a partir de agora o processo de reativação turística nesta região.

Destacaram a entrega do Selo Viagem Segura concedido ao Peru pelo Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC), na Llaqta de Machu Picchu. “O trabalho articulado dos governos regionais e nacionais nos permitiu obter o Selo Viagem Segura, um distintivo que implica em maior segurança durante esta pandemia, compromisso e responsabilidade com todos”, disse o governador de Cusco.

“A partir de agora existe um compromisso de trabalho do Ministério da Cultura, Sernanp, empresas, restaurantes, hotéis, agências de viagens, guias turísticos, artesãos, transportes para assumir este selo e ter cuidado porque é sensível”, disse.

Benavente disse que para que o turismo seja reactivado, “temos de ir e cumprir os protocolos de saúde, temos de dar aos turistas essa confiança para que possam vir à nossa região”, acrescentou.
No entanto, garantiu que o crescimento gradual do turismo receptivo se dará com campanhas em nível nacional sob o nome de “Vamos Voltar”, que busca a união dos peruanos para o desenvolvimento.
Por sua vez, Fredy Deza, chefe da Direcção Regional de Comércio Exterior e Turismo (Dircetur), acrescentou que, depois de obter o selo internacional, estão a trabalhar em conjunto para ter um selo regional que destaque 47 bairros turísticos.
Para o efeito, garantiu que se realizam encontros técnicos com os autarcas provinciais e distritais “Já iniciamos o processo de reactivação, não é imediato, mas o fazemos passo a passo e com cada vez mais segurança”, concluiu.

Pin It on Pinterest

Shares
Share This