fbpx

Ollantay, uma história de Amor e um Legado Inca.

Você pode se maravilhar, como também conhecer o esplendor de uma cultura, lendo apenas a sua literatura. Apreciando essa arte, você pode se tornar uma testemunha do grandioso valor que possui um povo. Nesse post a gente vai falar sobre uma obra uma das Obras que representam a cerejinha no bolo dos Incas. A obra conhecida Ollantay, trata de uma história amorosa que nos transporta até os tempos gloriosos dos Incas.

Contexto Histórico da Obra:

Existia apenas um supremo governador nos tempos dos quéchuas, esse líder de um vasto império levava o honrosamente o título de “Inca”. Ele era literalmente considerado como o Filho do Deus Sol, a maior divindade na teologia dos quéchuas. Talvez seja do seu interesse saber que os esses poderosos homens não se casavam com qualquer pessoa e como qualquer imperador, vivia uma vida cheia de luxos e riquezas; todos esses luxos também eram desfrutados pela a sua família, a sua esposa e filhos.

Segundo a sua lei, eles apenas se podiam casar com mesma família, não podiam se casar com a plebe; porque isso seria considerado como uma heresia. Bom com tudo isso vamos começar a história!

Personagens da Obra.

Principais:

  • O Inca Pachacutec (O Inca, a máxima autoridade do Império)
  • Ollantay (Capitão do Região do “Antisuyo”)
  • Cusi Couyllur (Nome em quéchua, e traduzido: “Estrela Alegre”, Filha de Pachacutec, amada de Ollantay)
  • Rumi Nhahui (Também em quéchua, significa: “ Olho de Pedra”, Capitao da região do HananSuyo)
  • Tupaq Yupanqui (O Príncipe, ou o próximo Inca).

Secundários:

  • Coya ou Anahuarqui (Esposa do Inca Pachacutec)
  • Imac Sumaq (traduzido: Linda Menina)
  • Piki Chaki (Pés de Pulga, fiel amigo de Ollantay)
  • Willka Uma (O Grão Bruxo Inca)
  • Pitu Salla (Uma Virgem do Convento Inca ou Accllahuasi, tutora de Ima Sumac)
  • Mama Qaqa (seria como uma Madre Superior no Convento Inca ou Accllahuasi)

Imagens da Catedral de Cusco:

Nasce um amor proibido, uma paixão escondida.

O capitão-chefe dos exércitos dos Incas Ollanatay, fiel soldado e guerreiro, mas proveem do povo quéchua, se apaixona perdidamente de Cusi Couyllur. E assim surge um amor proibido entre eles dois. Contudo, o amor deles é tão forte que os dois se unem amorosamente. Apesar disso, a mãe de Cusi Couyllur, esposa do inca Pachacutec, oculta esse segredo juntamente com a sua filha.

Devido a que o amor deles dois resulta em uma gravidez (Só para piorar), o Soldado valente, Ollantay, vai e pede conselho ao Grão Bruxo Quéchua, quem fala para ele não ousar pedir ao Inca Pachacutec a mão de Cusi Couyllur. Mas, Ollantay, com muita ousadia e coragem se apresenta ao Governador Supremo e pede que autorize a sua relação amorosa com a sua filha. Mas, Pachacutec, muito furioso o expulsa da sua presença, e em sua cólera, manda a sua filha a um Convento Inca chamado “Accllahuasi” aonde ela teria a bebe e logo depois a chamaria “Imac Sumaq”. (Traduzido: “Menina Linda”)

Imagenes Museu Inca de Cusco:

A rebelião de Ollantay e a guerra dos 10 anos.

Ollantay fica encolerizado também ao se informar que a sua amada não está mais no palácio da sua Mãe, a Coya, e deduze que ela foi assassinada pelo seu próprio Pai, e na sua ira abandona a Cidade de Cusco e juntamente com seu amigo Fiel “Piki Chaki” (Pés de Pulga), jurando que destruiria a Capital do Império Inca. Então se dirige a Ollantaytambo, lugar que leva o seu nome, aonde construí uma fortaleza, totalmente disposto a enfrentar os exércitos de Pachacutec.

Muito tempo tinha passado, e tanto Pachacutec como Ollantay lutaram por 10 anos, sendo rivais até que Pacahcutec morreu, mas antes deixou o Imeprio do Tawantinsuyo ao seu filho Tupaq Yupanqui, quem tambem procurou destruir a Ollantay.
Enquanto, Cusi Couyllur consegue granjear o coração de uma virgem do Sol, quem ajuda ela a criar a sua filha, Imac Sumaq, desde bem pequena no Accllahuasi. Tempo depois, Imaq Sumac descobre a sua mãe por acidente e procura ao Inca Tupaq Yupanqui para que a libere do Convento.

Imagenes Sacsayhuaman:

A Traição do “Rumi Nhahui”.

O Rumi Nhahui, quem era comadante fiel do Inca Pachacutec e agora do seu filho, consegue enganar com um estratagema a Ollantay. Ele vai até Ollantay com o corpo tudo ferido, declarando que tinha sido O Inca Tupaq Yupanqui o causante da sua miséria. E dessa forma consegue granjear o coração de Ollantay. Mas logo depois, aproveitando uma festa noturna, ele abre as postas de Ollantaytambo para as tropas do Inca.

E dessa forma Rumi Nhahui subjuga a Ollantay e aos seus amigos. Os leva a Cidade de Cusco e os presenta ao Jovem Inca, Filho de Pachacutec. Quem pede conselho para o Willka Uma, quem pede para o Inca perdoar a Ollantay; porém, Rumi Nhahui, o traidor, exige a morte de Ollantay e seus amigos. Segundo a história, Tupaq Yupanqui autoriza o pedido do astuto Rumi Nhahui, mas no último segundo perdoa os rebeldes e os coloca nas posições mais altas do Império.

Imagenes Calle Hatun Rumiyoc:

Um Final Feliz.

Parece ser um final feliz, mas o final ainda não acaba, pois Imac Sumaq vai até a presença do Inca Yupanqui e pede fervorosamente a liberação da sua mãe do Accllahuasi. Então, O Inca Tupaq Yupanqui, movido de compaixão acompanhado de Ollantay vao até o Convento Inca para libertar a coitada da Cusi Couyllur. Ao chegar nas habitações mais ocultas do Accllahuasi, Ollantay reconhece imediatamente a sua amada, como também o Inca Tupaq Yupanqui reconhece, depois de tanto tempo, a sua irmã. Depois de ouvir a trágica e triste história de amor, O inca Tupaq Yupanqui desposa a sua irmã com o valente Ollantay.
Fim

A informação que você encontrou aqui te ajudou?

Ajude-nos com a sua qualificação.

Pontuação Media / 5. Número de votações

Pin It on Pinterest

Shares
Share This